O milagre em longa metragem. Refletindo sobre preconceito e inclusão social em um filme turco.

Man climbs CN Tower steps in wheelchair

Escrito por Ricardo Shimosakai

28 de abril de 2021

O milagre em longa metragem. Baseado em uma história real, este filme turco mistura drama, romance e comédia, está disponível no Brasil pela Netflix, no original e legendado em português.

Passado na década de 1960, um professor é transferido da cidade para um remoto vilarejo nas montanhas da Turquia contra a vontade de sua família. Depois de uma longa viagem de ônibus até a última estação, ele tem que fazer uma longa caminhada por duas montanhas para chegar ao seu destino. Quando chega, descobre que não só a aldeia está empobrecida e sem as mais modernas comodidades, como também não tem escola.

Inicialmente, parece que o filme é centrado no professor da escola, Mahir. Não leva muito tempo para perceber que o filme é na verdade sobre a aldeia e os moradores, sua cultura e tradições, sua humildade, seus problemas.

Trama

O professor Mahir Ögretmen, que mora em uma cidade litorânea da Turquia na década de 1960, foi transferido para um vilarejo remoto. Ele teve que partir contra a vontade de sua esposa e duas filhas. Ele teve que fazer uma viagem muito longa de ônibus que para muito antes de seu destino, que fica a duas montanhas de distância da aldeia, pois o governo não fez mais nenhuma estrada.

Depois de dar um passeio pelas montanhas, ele chegou à aldeia, que é mais provável que seja um povoado do que uma aldeia. As pessoas da aldeia se aproximam furtivamente dele com armas e, quando souberem sua identidade, irão avisá-lo de que não há escola na aldeia. As crianças da aldeia estão destinadas ao analfabetismo para sempre, pois o professor pensa que não está à altura da tarefa.

dois atores, na esquerda com terno e na direita com roupas rasgadas e sujas. Estão no quintal gramado de uma casa azul que aparece ao fundo.

Vivemos sob a vontade de Deus por oito meses (quando neva) e à mercê do governo pelo resto dos quatro meses. Estas palavras do ancião da aldeia resumem a dura realidade de sua vida comunitária. Mas o professor assume a tarefa de trazer uma escola para eles por meio do governo e fracassa. O chefe da aldeia, que já gostava do professor, fica triste ao vê-lo ir embora, pois não há escola que vai ser montada pelo governo.

Depois que a noite passa, a professora apresenta um plano para a construção da escola. Ele liga para sua casa pedindo dinheiro dizendo que foi sequestrado pelos bandidos. Depois de receber o dinheiro, a escola foi construída com a ajuda dos aldeões e dos bandidos da montanha. Nesse ínterim, a história começa a nos mostrar a vida da aldeia.

Os jovens da comunidade casam-se um a um, com uma noiva escolhida pelos mais velhos. O ritual de seleção de noivas é bem engraçado. As mulheres mais velhas da aldeia vão para a seleção depois de ouvir os desejos e exigências dos solteiros elegíveis e quem quer que elas escolham, perguntando à noiva perguntas sobre o Alcorão, cozinhando e inspecionando as respirações tem que ser casado com o noivo.

Dois dos filhos do cacique se casam, mas o filho mais velho Aziz é deficiente, supostamente acometido de algum tipo de deficiência intelectual. O povo da aldeia e as crianças zombam e zombam dele. A professora o resgata ao interná-lo na escola recém-fundada, onde todas as crianças da aldeia passaram a estudar em uma única sala, e de fato o ensina a escrever. Ninguém achava que Aziz estava apto para o casamento, mas de repente o Chefe salva a vida de uma pessoa fora da corte na cidade. O homem, em agradecimento, faz uma promessa ao pai do noivo de deixar sua filha Mizgin se casar com Aziz.

A vida fica difícil para Mizgin e Aziz porque a comunidade pensa que eles não são um casal adequado. Depois de várias atitudes e comportamentos ofensivos dos moradores, Aziz e Mizgin fugiram, deixando uma carta de despedida escrita por Aziz. Poucos dias depois, o professor também retorna à sua cidade. 7 anos depois, a professora volta para a aldeia com Aziz – não mais deficiente após tratamento de sua distrofia muscular -, Mizgin e seus dois filhos.

Ficha técnica:
O MILAGRE (Mucize)
DIREÇÃO: Mahsun Kirmizigül
ELENCO: Mahsun Kirmizigül, Senay Gürler, Mert Turak, Büsra Pekin, Cezmi Baskin, Ali Sürmeli, Meral Çetinkaya, Talat Bulut
PAÍS/ANO DE PRODUÇÃO: TURQUIA/2015
GÊNERO: DRAMA, COMÉDIA, ROMANCE
DURAÇÃO: 126 Minutos (aprox.)

Acessibilidade e inclusão

Compartilhe

Use os ícones flutuantes na borda lateral esquerda desta página

Siga-nos!

[et_social_follow icon_style="flip" icon_shape="circle" icons_location="top" col_number="auto" outer_color="dark" network_names="true"]

Você pode gostar……

Seus comentários são bem-vindos!

0 comentários

Enviar um comentário