Caso de sucesso

Tumlare sem Fronteiras – França

Portfólio » Caso de sucesso Tumlare sem fronteiras

Tumlare empresa de turismo

A Tumlare é uma das empresas de turismo conhecida pela alta qualidade de suas viagens. Ela é uma Destination Management Company (DMC), que é uma empresa prestadora de serviços de turismo que agrega absolutamente todos os serviços necessários para atender às necessidades do viajante. Observando as oportunidades do mercado, resolveram ampliar suas ofertas para pessoas com deficiência física, o que também teria reflexos para o público idoso.

Fui chamado para participar de todo o processo deste projeto, pelo reconhecimento de minhas atuações no mercado turístico, em especial para o desenvolvimento do turismo acessível. Também em função do ótimo relacionamento com o público-alvo, onde também sou reconhecido por trabalhar com o turismo acessível. Outra vantagem, é ser experiente em viagens internacionais e já ter visitado boa parte da proposta que seria elaborada.

Foram feitas algumas reuniões para ajustar uma proposta do pacote de viagem para a França, baseado na grande experiência da Tumlare em seus roteiros convencionais, mas adaptando para turistas com deficiência, com atenção ao usuário de cadeira de rodas, área de minha especialidade.

Desafios

  • rEscolha de locais e serviços acessíveis e inclusivos para turistas com deficiência
  • rMontar a operação de um roteiro de 11 dias para até 14 turistas com deficiência
    • rDivulgar, atrair e vender o pacote turístico para o público-alvo
    • rTer agentes de viagens em agências e operadoras capacitados para atender ao turista com deficiência

    Soluções

    • RParticipação nas reuniões para verificar a viabilidade e fundamentos para a construção do projeto Tumlare sem Fronteira
    • RMentoria na construção de um roteiro de luxo acessível de 11 dias adaptado para turistas com deficiência
    • ROrientações para a logística do transporte, hospedagem, alimentação e passeios de forma acessível e inclusiva para turistas com deficiência
    • RAvaliação fina da adequação de todo o roteiro para um grupo de até 14 turistas com deficiência
    • RCapacitação do guia de turismo responsável no acompanhamento do roteiro
      • RElaboração de material impresso e digital para divulgação com imagens e texto adequados ao público-alvo
      • RPresença em feiras e eventos para a promoção do Tumlare sem Fronteiras
      • RAssessoria de marketing para a promoção em influentes canais de comunicação
      • RTreinamento de agências e operadoras para o atendimento específico às necessidades de turistas com deficiência
      • RElaboração de uma lista de dúvidas frequentes e checklist de informações importantes como material de apoio ao atendimento
      Confira o roteiro resumido das visitações. Para conhecer o plano de viagem com detalhes, acesse o documento Tumlare sem Fronteiras – França

      • 1º Dia – Brasil / Paris – Embarque com destino a Paris
      • 2º Dia – Paris – Hospedagem no hotel Pullman Montparnasse – Dia livre para atividades
      • 3º Dia – Paris – Museu do Louvre – Catedral de Notre-Dame – Museu d’Orsay
      • 4º Dia – Paris / Versalhes / Paris – Palácio e Jardins de Versalhes
      • 5º Dia – Paris / Giverny / Paris – Jardins da Casa de Monet – Museu dos Impressionistas – Museu Militar
      • 6º Dia – Paris / Tours – Transporte de Paris até Tours (237 km) – Dia livre para descanso ou passeio
      • 7º Dia – Tours / Castelo Azay-le-Rideau / Tours – Visita de meio dia pela cidade de Tours – Catedral Saint Gatien – Castelo Azay-le-Rideau
      • 8º Dia – Tours / Passeio de barco pelo Rio Cher / Castelo de Chenonceau / Tours – Passeio de barco pelo Rio Cher – Jardins e Castelo de Chenonceau
      • 9º Dia – Tours / Castelo de Chambord / Paris – Jardins e Castelo de Chambord
      • 10º Dia – Paris / Marne-la-Vallée / Paris – Dia de compras no Shopping La Vallée Village – Show de cabaré no Paradis Latin
      • 11º Dia – Paris / Brasil – Embarque com destino ao Brasil
      O roteiro foi organizado para oferecer 10 dias de viagem pelas maravilhosas atrações de Paris, Versailles, Giverny, Vale do Loire e Tours. A capacidade de cada grupo, era de até 14 cadeirantes e mais 14 acompanhantes. O pacote incluiu todos os hotéis nas diferentes cidades, ingressos para todos os atrativos visitados, além de todas as refeições. Um médico e uma enfermeira também acompanharam toda a viagem, para qualquer tipo de necessidade relacionada à saúde.
      A informação clara e detalhada, foi um dos itens que reforcei, pois certamente muitas dúvidas surgiriam dos clientes para uma viagem tão grandiosa. Inevitavelmente, alguns atrativos deveriam ter limitações, pois se trata de lugares antigos e preservados, então apontar as restrições dos lugares era importante. O turista compreende os problemas de acessibilidade, o que mais causa indignação é a informação incorreta, em por exemplo dizer que o local é acessível e depois encontrar barreiras na visita. Abaixo o exemplo da descrição detalhada de um dos dias da viagem.
      3º Dia – Paris
      Após o café da manhã BUFFET no hotel, saída para visita de meio dia em ônibus privado especial para cadeirantes e guia local falando Português. Visita ao Museu do Louvre (INGRESSO INCLUSO) com serviço de audioguia INCLUSO e visita a Catedral de Notre-Dame (INGRESSO LIVRE). A visita guiada em cadeira de rodas ao Museu do Louvre envolve um percurso sem degraus. Os cadeirantes usarão alguns elevadores grandes e alguns elevadores pequenos para evitar as escadarias do Museu do Louvre. Almoço INCLUSO no Restaurante “Chai 33” ou similar, onde será servido um menu de 3 pratos SEM bebidas. Finalizado o almoço, visitaremos o Museu d’Orsay (INGRESSO INCLUSO) o qual abriga a maior coleção de obras Impressionistas do mundo, citando dentre elas obras de: Monet, Manet, Degas, Renoir, Cézanne, Seurat, Sisley, Gauguin e Van Gogh. Retorno ao hotel e restante do dia livre. À noite, saída para Jantar INCLUSO na Brasserie “La Lorraine” ou similar, onde será servido um menu de 3 pratos SEM bebidas. Finalizado o jantar, retorno ao hotel.
      A atenção à viagem em si, começa desde o embarque no aeroporto. Nessa etapa, o que conta é a informação, uma vez que nenhuma empresa pode prestar serviços no embarque do passageiro. Apesar de falhas, as companhias aéreas sempre conseguem transportar seus passageiros, seja qual for a deficiência que possuir.
      Um guia de turismo brasileiro, foi colocado para acompanhar toda a viagem, desde o desembarque em Paris, passando por todos os atrativos e na volta no aeroporto para embarque de volta ao Brasil. Tive uma atenção especial em conversar com o guia, pois ele teria contato direto com os turistas. Era preciso compreender todas as questões de atendimento à pessoa com deficiência, entendimento das tecnologias assistivas utilizadas, como a cadeira de rodas manual ou motorizada, e das rotinas de cada um, como os horários de ir ao banheiro.
      Os traslados pela França foram todos feitos através de um ônibus rodoviário com acessibilidade através de plataforma, e com espaço para até 14 cadeiras de rodas. Além disso, as hospedagens e os passeios também foram escolhidos para que conseguissem operar em capacidade máxima, para que o grupo estivesse unido em todos os momentos.
      Os hotéis escolhidos possuem uma combinação entre luxo, conforto, acessibilidade e inclusão. Foi levado em conta a livre circulação pelo hotel, quartos espaçosos com banheiros acessíveis e um atendimento adequado às pessoas com deficiência. É um dos locais que mais trazem insegurança em um turista com deficiência, principalmente nas adaptações do banheiro, por isso a escolha foi cuidadosa.

      Os restaurantes, além de passar uma experiência única, pela sua decoração e gastronomia, também precisavam estar prontos para servir a qualquer pedido do turista. Novamente, o acesso para entrada, circulação, mesas e banheiros foram verificados.

      Uma observação importante que eu apontei, foi a divulgação desta oferta de viagem. Era preciso alcançar o turista com deficiência, e para isso estar presente nos canais de informação que ele mais consome. O Blog e redes sociais da Turismo Adaptado, nome anterior de minha empresa, foi o principal canal de promoção. Minha participação distribuindo um encarte impresso na Reatech, o maior evento do segmento no Brasil, também foi muito importante. Também auxiliei na divulgação para o trade turístico, estando presente em grandes eventos como a ABAV e a WTm Latin America, além do evento de lançamento oficial.

      Várias tarefas, descartando a criação do roteiro, foram feitas no ano de lançamento e no ano seguinte. Principalmente as questões de atendimento, operação e divulgação.

      Na etapa de atendimento e reserva, estive junto com a operadora LET Viagens, principalmente orientando a melhor maneira de informar o produto, e nos esclarecimentos de dúvidas dos clientes. As maiores dúvidas eram relacionadas à acessibilidade, e para passar confiança, minha pessoa teve uma grande importância. Por eu também ser um cadeirante, e também pelas pessoas saberem que eu sou um viajante experiente, se sentiam confiantes nas minhas respostas. Mesmo entre pessoas cadeirantes, podem existir várias diferenças das suas necessidades pessoais. Orientei para que fosse perguntado tudo o que o cliente precisaria na viagem, para que não houvesse nenhum tipo de problema. Alguns pedidos foram verificados para atender adequadamente, como por exemplo a possibilidade da utilização de uma cadeira de rodas motorizada em toda a viagem.

      Foi importante unir o conhecimento especializado de lados diferentes de uma proposta. A Tumlare faz um trabalho excelente no turismo, e por darem grande importância na qualidade de seus serviços, é que decidiram chamar um especialista entendido em turismo acessível. Fizemos o melhor possível, e a certeza de que o trabalho foi bem feito, só pode vir através do depoimento de uma das cliente:

      “Todas as pessoas de apoio envolvidas nos passeios são excelentes companhias, solícitas, simpáticas, pontuais e bem informadas” – Silna Lampert (viajou na primeira edição)